Sucessos da Brainlab

De Desenvolvedor a Gerente Regional

Ralf

Ralf começou a trabalhar na Brainlab em 1998 e é um grande exemplo para se vislumbrar todas as oportunidades e desafios que um funcionário da Brainlab pode encarar ao trabalhar aqui.

Ralf the international for BL fb posting
Quando você se candidatou a trabalhar na Brainlab? Qual era o cargo?

Na metade de 1998, como engenheiro de software.

Como você descreve o processo de candidatura?

Divertido e inspirador. Eu me candidatei depois de conhecer Stefan Vilsmeier, CEO e fundador da empresa, em um evento da indústria em minha universidade, onde ele disse que estava ansiosamente procurando por engenheiros. Como não obtive resposta, liguei para a Brainlab e insisti em conversar com ele, visto que estava tão ansioso. Ele me entrevistou no dia seguinte e sugeriu que eu ingressasse na área de serviços, para trabalhar com clientes, ao invés de desenvolver software. Ele me apresentou às duas equipes, e eu pensei: “Acho que ele tem razão.”

O que fez com que você trocasse de cargos com tanta frequência na Brainlab? Quais eram os cargos?

Depois de um ano na área de serviços (com viagens para Bélgica, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos), me ofereceram um cargo na área de Gerenciamento de Suporte a Produtos, uma combinação de suporte de segundo nível, treinamento global em serviços e gerenciamento de reclamações. Este foi o primeiro grande passo para além da engenharia.

Depois de dois anos de experiência naquela função, consegui uma licença para ir para a América do Sul, sem nenhum cargo aguardando meu retorno. Em minha últimas semanas fora, fui convidado a iniciar uma equipe de P&D em um novo negócio para salas cirúrgicas integradas. Foi uma grande honra ser lembrado e permaneci nessa missão pelos próximos cinco anos, incluindo instalações em Staten Island e Roma.

Em 2006 eu havia iniciado meus estudos de MBA. Como pretendíamos, minha esposa e eu, viver em outro país, providenciamos nossos vistos para a Austrália. Entretanto, a Brainlab perguntou-me se eu gostaria de ir para Cingapura, para um grande projeto de clientes e consultoria em vendas na Brainlab Ásia-Pacífico. Depois de um dia de reflexão, aceitamos o desafio, e tivemos uma experiência fantástica.
Em 2008, ainda queríamos ir para a Austrália; todavia, a oportunidade não estava lá. Retornamos para a sede da empresa e assumi uma função em marketing. Um ano depois, juntei-me ao grupo de desenvolvimento de negócios corporativos e gerenciei a comunicação do primeiro grande “carve out” na Brainlab. Essa foi uma época muito interessante, com aprendizado na área jurídica, em operações de vendas e em comunicações internas e externas.

Ao término do projeto, minha esposa e eu percebemos que nosso visto australiano estava prestes a expirar, e que provavelmente nos arrependeríamos futuramente se não fizéssemos mais uma tentativa. Em conversa com Stefan Vilsmeier, ele revelou que tinha várias oportunidades de trabalho em outros países que precisavam ser preenchidas, incluindo funções de gerenciamento de operações na Austrália e na Nova Zelândia. Bingo! No último minuto, o empreendimento ficou ainda mais excitante, quando a função de Gerente Regional ficou vaga e fui convidado a encarar o desafio de uma combinação ativa de vendas, gerenciamento de vendas e gerência geral.

Hoje, depois de mais de três anos de um trabalho muito desafiante e vitorioso, entreguei o cargo para meu sucessor e o futuro está totalmente em aberto, mais uma vez.

Como você descreve e/ou classifica as oportunidades de crescimento profissional na Brainlab?

Em geral são ótimas e, com base em minha própria experiência, excelentes. Tudo o que você precisa entregar é flexibilidade mente aberta para novos desafios, qualquer que seja e onde quer que seja a tarefa!

Qual é a sua parte favorita sobre trabalhar na Brainlab?

Pessoas: colegas, clientes, parceiros e os pacientes. Os produtos, a nossa marca e o ambiente de trabalho são igualmente exclusivos, mas eles se concretizam para pessoas, por meio do trabalho de pessoas envolvidas em todo o globo. É por isso que as pessoas são minha parte favorita.

Entre os projetos com os quais você contribuiu durante sua carreira na Brainlab, qual foi o que gerou maior satisfação?

Minha função como gerente regional, reconstruindo a equipe para proteger e desenvolver nosso negócio na Austrália e na Nova Zelândia.

Porém, satisfação também é o resultado de “pequenas” coisas. Há algum tempo, ajudei um cirurgião a realizar uma navegação extremamente precisa em um paciente de vinte e um anos. A precisão permitiu que o cirurgião localizasse rapidamente o pequeno tumor, de médio risco, no fundo do cérebro do paciente. Após a cirurgia, o cirurgião me abraçou, agradeceu em nome do paciente e toda a equipe do teatro da operação aplaudiu.

O que a Brainlab faz diferente de qualquer outra empresa em que você trabalhou?

Eu diria que existe um grupo de pessoas com um nível de motivação excepcionalmente alto trabalhando na Brainlab em todo o mundo: do nosso fundador e CEO ao estagiário recém-contratado. Nossa cultura de atrair, contratar e facilitar o desenvolvimento desses indivíduos, e as equipes que eles formam, é provavelmente o maior diferenciador em relação a outras empresas em que, ou com as quais trabalhei.

O que te motiva a vir para o trabalho diariamente?

Até hoje, em todos os meus cargos na Brainlab: cada dia é diferente e oferece alguma novidade! Você provavelmente vai se divertir, encarar um desafio e conseguir apoio para ser bem-sucedido, todos os dias.

Qual é o aspecto mais atraente de trabalhar especificamente em seu departamento?

Em vendas e suporte, é a grande variedade de pessoas com as quais você trata: cirurgiões, enfermeiras, engenheiros biomédicos, físicos médicos, gerentes de teatro, CEOs, representantes de implantes. para cada um deles você pode encontrar alguma coisa que seja valiosa para seu trabalho, e que você pode dar como contribuição para o bem dos pacientes.

Qual é a política/benefício exclusivo da Brainlab que você mais aprecia?

Em trânsito, são as ferramentas que temos à mão, em constante evolução: telefone, tablet e laptop de alta qualidade, acesso móvel a CRM e materiais de marketing, videoconferência, suporte de TI, etc., facilitando muito a vida do homem de negócios em viagem.

Na sede, aprecio o ambiente inspirador, as hierarquias planas, a arquitetura aberta, as áreas de encontros criativos, e e o delicioso “alimento para o pensamento” de nosso restaurante e café. Por quê? Ele alimenta o espírito de nossa equipe de uma maneira gostosa.