Elements Cranial SRS

Inteligência inerente para indicações craniais

Elements Cranial SRS é uma ferramenta de planejamento de tratamento eficiente para indicações craniais, com elevado nível de automação.

Software de planejamento de tratamento efetivo, inteligente e altamente automatizado para indicações craniais
Abordagem exclusiva para o tratamento de indicações craniais, otimizando o plano para cada caso específico

Planejamento de tratamento eficiente para indicações craniais

Os sistemas de planejamento de tratamento geralmente simplificam o planejamento usando uma abordagem única para todos os casos. O Cranial SRS, entretanto, é um aplicativo diferenciado, que otimiza o processo de planejamento com base em uma indicação de crânio específica.

  • As doenças incluem, entre outras, malformação arteriovenosa (MAV), adenoma pituitário, schwannoma vestibular, meningioma e metástases grandes
  • Flexibilidade para configurar modelos de planejamento de acordo com protocolos clínicos individuais
  • A detecção automática de órgãos de risco (OARs) do crânio economiza o tempo do usuário e promove a consistência
O algoritmo de otimização suporta o posicionamento ideal de arcos não coplanares

Otimização de trajetória de arco

O planejamento otimizado de arcos não coplanares é uma tarefa desafiadora até mesmo para os mais experientes planejadores. A obtenção de um plano de alta qualidade passa pelo aproveitamento das características de um algoritmo de otimização 4π e de controles clinicamente gerados que unem todas as opções e todos os benefícios exigidos pelo aplicativo Cranial SRS.

  • A seleção de ângulos de mesa é automaticamente gerada para otimização do posicionamento, com base nos órgãos de risco mais críticos, dependendo da doença
  • Os ângulos de início e parada do gantry, bem como o ângulo da mesa, variam de acordo como os órgãos de risco, para completar a otimização da trajetória
  • A otimização de VMAT leva em consideração a otimização da trajetória para criar um planejamento de tratamento otimizado
A abordagem de VMAT proporciona gradientes de dose precisos e planos com eficiência de MU

Otimização dinâmica de gradiente e MU

Para criar o máximo gradiente de dose e planos com maior eficiência de MU, a exclusiva abordagem VMAT da Brainlab representa uma elegante combinação de automação e controle. Essa abordagem é caracterizada por ferramentas de controle clínico que permitem que o usuário faça modificações sutis em planos.

  • Algoritmo exclusivo de VMAT para usar altas taxas de dose, necessárias para tratamentos de SRS
  • Os planos apresentam eficiência de MU, usando técnicas especializadas de otimização de restrições
  • Modificações de planos podem ser rapidamente visualizadas e implementadas com ferramentas intuitivas, afetando as métricas de MU e de tecidos normais (CI e GI)
A modulação de dose pode ser alterada para criar um plano mais ou menos parecido com VMAT, dependendo da preferência do usuário

Dosimetria robusta facilmente controlada pelo usuário

Para determinados casos, pode ser necessário aumentar a modulação de dose para alcançar as restrições de dose de órgãos de risco (OAR). Entretanto, para casos em que o PTV esteja isolado, pode ser interessante reduzir a modulação para melhorar a estabilidade dosimétrica do plano.

  • A modulação de dose pode ser alterada para aumentar ou diminuir a característica VMAT do plano
  • Controles clínicos facilitam a influência do usuário na produção de um plano com maior robustez dosimétrica
As sequências de dados podem ser exibidas de várias maneiras, incluindo visualizações 3D exclusivas para mostrar a distribuição de dose.

Visualizações exclusivas para avaliação de dose 

O controle sobre parâmetros de planejamento é facilitado por visualizações diretas e exibições de dose exclusivas. Isto foi implementado para PTVs e para os órgãos de risco mais críticos, de forma a permitir a rápida avaliação de escolhas.

  • Exibição da distribuição de dose em múltiplas sequências de imagens
  • Exclusivas visualizações 3D para análise ideal de dose
  • Visualização volumétrica da interface de dose