Sala Digital Pronta para o Futuro Integração

Os Desafios da Integração Cirúrgica

A sala cirúrgica é um ambiente complexo. O número de dispositivos na sala cirúrgica, que solucionam problemas específicos, está aumentando à medida que a tecnologia avança. As salas cirúrgicas atuais com frequência ficam lotadas de dispositivos independentes, que dão suporte aos sistemas e monitores, cada qual com suas próprias interfaces ou hardware para exibir seus dados. O fato de cada software ter sua própria interface dificulta a manutenção de uma visão geral clara de todos os dados, além de desviar a atenção que deveria estar no paciente. Adicionalmente, perde-se um tempo valioso para conectar cada dispositivo manualmente. A maior parte das salas cirúrgicas não tem uma visão geral de alto nível de todas as informações disponíveis do paciente, o que as torna ineficientes, superlotadas e menos seguras2.

Os Desafios da Integração Cirúrgica

Consolidação das Informações Cirúrgicas

A integração de TI é um elemento fundamental de qualquer sala cirúrgica moderna. Como uma empresa de software com mais de mil instalações de salas cirúrgicas integradas em algumas das instituições mais inovadoras do mundo, a Brainlab está familiarizada com todos os tipos de cenários de TI e de ambientes com sistemas herdados.

A integração Brainlab Digital O.R. busca centralizar as informações relevantes necessárias para a cirurgia, provenientes de estudos radiológicos, fontes de vídeo, hardware ou software, em uma única plataforma: Buzz. A integração direta com os sistemas de informação do hospital permite que o sistema Buzz colete e envie os dados corretos para o arquivo do hospital, no momento certo.

Flexibilidade na Integração de Dispositivos

Com a Brainlab Digital O.R., diferentes hardware e fontes de vídeo como endoscópios, microscópios, scanners, câmeras da sala, dispositivos robóticos e plataformas de navegação sejam conectadas ao sistema Buzz. As fontes recém-conectadas aparecem automaticamente na tela inicial, permitindo o controle centralizado e a visão geral dos dispositivos integrados, além de eliminar a necessidade de usar diversos monitores ou interfaces.

  • Roteamento expansível de vídeos – Em salas cirúrgicas pequenas, com poucas fontes, os vídeos podem ser roteados diretamente com o sistema Buzz; em instalações com mais dispositivos de vídeo, as fontes podem ser roteadas por meio da tecnologia Vídeo-sobre-IP, sem ocupar espaço físico.
  • Integração de dispositivos cirúrgicos – Endoscópio, microscópio, dispositivos robóticos e sistemas de navegação podem ser facilmente integrados por maio de qualquer sinal de vídeo ou de rede; as informações resultantes são automaticamente exibidas na interface Buzz, fácil de usar.
  • Roteamento simples para os monitores – Qualquer conteúdo exibido no Buzz (imagens do paciente, sinais de vídeo ou conteúdo de software da Brainlab ou de outros fabricantes) pode ser enviado para outros monitores da sala cirúrgica, bastando usar a função de arrastar e soltar o ícone correspondente no Buzz para que cada membro da equipe possa monitorar os dados importantes para sua tarefa.
Digital O.R. - Menos Interfaces de Software

Menos Interfaces de Software

Não é só o número de dispositivos de hardware na sala cirúrgica que está aumentando, mas também o número de diferentes sistemas de software usados, como prontuários médicos eletrônicos (EMRs) e software de controle de progresso na sala cirúrgica. Cirurgiões, enfermeiros e anestesistas têm seus próprios sistemas perioperatórios em que devem se concentrar3.

O sistema Buzz foi projetado como uma plataforma aberta, pronta para o futuro, na qual aplicativos executáveis baseados em navegador podem ser integrados, exibidos e controlados por meio de uma interface central. Portanto, vários fluxos de trabalho da sala cirúrgica podem ser consolidados em uma única fonte, minimizando o número de interfaces na sala cirúrgica.

Integração Organizada de HIS/PACS/VNA

A Brainlab Digital O.R. torna o aprimoramento e a geração de novas informações simples, com um único nó central de dados, organizando as conexões de TI do hospital e facilitando a manutenção diária de TI.

  • Preenchimento de lacunas de dados – O software Origin Server da Brainlab, instalado em um hardware de servidor ou em uma máquina virtual, é o nó central de dados entre os arquivos do hospital (HIS, PACS, VNA) e o sistema Buzz. Portanto, os dados de paciente, inclusive de DICOM, as capturas de tela e as gravações são sincronizadas de maneira centralizada e disponibilizadas para a equipe da sala cirúrgica para visualização, edição e aprimoramento no monitor central do sistema Buzz. A hospedagem centralizada do software permite a manutenção direta.
  • Dados de paciente instantaneamente disponíveis – Os dados que se deslocam pelos dispositivos Brainlab são automaticamente sincronizados, ficando prontamente disponíveis para a equipe da sala cirúrgica. Esses dados incluem imagens médicas, conteúdo gerado, tais como planos de tratamento, além de metadados, tais como demografia de pacientes.
  • Os dados certos no momento certo – Graças à integração com o HIS, o Software Origin Server recebe o cronograma da sala cirúrgica do dia com antecedência, através de mensagens HL7 e das listas de trabalho do DICOM, resultando em uma lista organizada de pacientes, preenchida com apenas os dados relevantes necessários para aquele dia e para a sala cirúrgica, eliminando os tempos de espera para carregamento e pesquisa de dados.
  • Uso eficiente dos recursos – O Software Origin Server utiliza os recursos da rede do hospital nos horários menos ocupados para coletar previamente os dados de imagem do paciente. A integração com HL7 permite que os dados de paciente pré-planejados e armazenados provenientes do PACS para as salas cirúrgicas programadas sejam carregados e pré-processados durante a noite e disponibilizados no sistema Buzz antes mesmo do início do primeiro procedimento do dia.

Gerenciamento de Dados Eficiente

  • Recuperação rápida dos dados de imagens – A integração com os arquivos de VNA permite o acesso às capturas de tela e às gravações do paciente na sala cirúrgica, salvando rapidamente a documentação de imagens.
  • Armazenamento simples de dados de imagens – Os dados do novo paciente criados durante a cirurgia a título de documentação, tais como capturas de tela, gravações de vídeo ou imagens DICOM, podem ser armazenados por longo prazo nos VNAs e ficam acessíveis de qualquer PC cliente por meio do HIS e do EHR.
  • Balanceamento de carga inteligente – Através desse fluxo de dados, a estabilidade do desempenho do sistema é assegurada pelo balanceamento de carga inteligente no servidor.
  • Integração segura – A integração de TI do hospital feita pela Brainlab foi desenvolvida de acordo com o padrão HIPAA e com o protocolo de transferência HTTPS e a criptografia SSL para a transferência segura de dados.
  • Transferência de dados segura e baseada em nuvem – Imagens, planos e formulários de pacientes podem ser acessados, salvos e transferidos (por download) via Serviços Quentry em Nuvem, uma plataforma segura e baseada em nuvem desenvolvida pela Brainlab exclusivamente para profissionais da saúde.

Conheça como a Equipe de Planejamento de Salas Cirúrgicas da Brainlab pode trabalhar com você para integrar com perfeição os dispositivos da sala cirúrgica, software, sistema de informação e armazenamento do hospital de maneira.